27 de ago de 2009

JAJAJAJA

JAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJA
JAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJA
JAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJA
JAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJA
JAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJA
JAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJA
JAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJA
JAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJA
JAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJA
JAJAJAJAJAJAJAJAJAJAJA
JAJAJAJAJAJAJAJAJAJA
JAJAJAJAJAJAJAJAJA
JAJAJAJAJAJAJAJA
JAJAJAJAJAJAJA
JAJAJAJAJAJA
JAJAJAJAJA
JAJAJAJA
JAJAJA
JAJA
JA

p.s.: bu

21 de ago de 2009

Olá, certeza.

Levanta a cabeça povão, Levanta a cabeça vovô. Murungando do Raul seixas. 20 anos, ele morreu à 20 anos atrás.
Morreu e não vai voltar.
Afinal, que porra é essa de morte?
Eu não entendo
Não entendo
Ninguém entende
O meu, o cara lá, sabe? Pois é, morreu...
E é isso, o cara morreu, de que?
Muitas formas
Mas não é legal cita-las

Outra coisa que morreu, foi a MPM, o musical praça da matriz, morreu mortinho, mataram o MPM.
Mas o ka-tet (salve a Torre Negra) que existia na MPM ainda existe, pelo menos parte dele.
O meu ka-tet aumentou, salve a minha mudança.
Nem sei o por que(não sei se é assim, nunca gostei de porques) mas mudanças ocorrem.
Diz certa professora que mudanças nos cromossomos às vezes vem para o bem, às vezes para o mau ( não sei se seria mal, mas tenho 2 amigos mau's, abraço amigos).
Pois é, essa foi para o bem.
Tanto faz também.
Falar tanto faz é tão legal, faz o cara parecer despreocupado. Às vezes é bom ligar o foda-se
Menos para a morte.

Trêmula de medo, olhando para a morte que se aproximava, a pobre formiguinha, suplicou:

- Ó morte, tu que és tão forte, que matas o homem, que bate no cão, que persegue o gato, que come o rato, que rói o muro, que tapa o sol, que derrete a neve, desprende meu pezinho.


Morte, não desprende o meu pezinho, me deixa aqui mais um tempinho.

E a morte impassível, respondeu:

- Mais forte do que eu, é Deus que me governa!


Tá bom sorte que a morte tem um chefe, senão ficava feio.
Vai que ela saísse matando todo mundo [/gripe suína dando resultado]
Ufa, coisa boa
Pois é, a morte é uma grande merda
Só entenderei ela, quando morrer.
Ninguém quer morrer, E não quero partes do meu ka-tet mortos.
Então, vá morte, fique sempre em uma historinha
E não nos visite.
Adeus.