28 de set de 2012

R.i.

Rito do riso
Rio do mar
Ri, quando vi
Ri o amar
Ri a beleza
Ri até
Rir da tristeza
e
Rindo senti
Riso risonho
e quando o medonho
Riu do meu sonho
Gargalhei.


27 de set de 2012

Viajando

Comprei um grafite HB
e uma lapiseira amarela
Escrevi

Vaguei por mares
Encontrei soluções
Para equações pares
Matei dois leões
Subi colinas
Até fui  pra guerra
das ilhas malvinas
Plantei um coral
Pra rainha da Inglaterra
Vi a aurora boreal
E o espetáculo mais lindo da terra

Mas quando fui descer a ribanceira
Vestido com o mais belo terno
a borracha esfregou o caderno
Me vi sentado numa cadeira

21 de set de 2012

Tragédia cumulativa

Toda a água da nossa garrafa
Escoou para fora
Tal como o sangue 
De um homem que trabalha no mangue
Catando caranguejos em meio a lama
Só pensando em ir pra cama
Com a sua vizinha
A velha Terezinha
Viúva já 3 vezes
E que mandou seu último marido
Ficar no hospício 100 meses
Dado como louco foi o homem
E agora em indigna prisão
Falam até em tortura
Uns dizem que é doença
Que nem existe cura
Outros dizem que é pura loucura
Mas todos eles não sabem
Que sua verdadeira tortura
É que sofre de paixão
Numa grande ilusão.

Vontade

Os gritos se propagam
Através das paredes ocas
Ninguém mais escuta
Ninguém nunca ouviu nada

Todos os gritos estão trancados
Em uma jaula reforçada
Por uma fechadura de vidro
Que só é violada
Quando um mundo é destruído.


Antes do nascer do sol

Sustento-me
Enquanto a chuva cai lá fora
Os trovões estouram agora
E eu não posso ir embora

Corro
Procurando alguma inteligência
Tentando fugir da demência
Buscando sapiência
Encarando a decadência

Voo
Quando a mente se liberta
E o mundo se oferta
Como uma flor aberta
E tudo é descoberta

Cresço
Levanto e apareço
Pois o melhor começo
É depois do tropeço.

19 de set de 2012

Traças

E deitado
Espero a chuva passar
Antes mesmo de sua chegada
Não escutas os pássaros
Há traças
Corroendo lentamente
Tudo o que importa

Sempre há uma luz distante
Avisando-te
Da companhia de todos eles
Flertam contigo
Rodeiam-te
Colocam traças no teu quarto

Mas você já se deitou
Não conseguiu ouvir
Nem mesmo a si mesmo
Seguiu-os a esmo
E mesmo sentido as traças
Andando sobre seus olhos
Não tem coragem de levantar




3 de set de 2012

Mentira

Conte-me uma mentira
Uma mentira que não me faça sorrir
Uma mentira que mude todos os planos
Que desfaça todo o combinado
Quebre o planejado
Talvez até destrua
Um sonho

Apenas conte-me
Algo pra eu me preocupar
Pra se desesperar
Pra quem sabe
Eu até chorar
Conte-me algo que
Escureça minha visão
Me desanime
Faça toda a vontade do meu corpo
Evaporar

Esmigalhe uma certeza
Exploda toda ilusão
Imploda meu mundo
Corte toda sua beleza
E no fim apenas diga
É mentira.