30 de out de 2014

amorfismo físico

rede arte planetária
mineral natural água da fonte
curta todos os seus sonhos 
colchões duplex
hora de morfar
enfia o campo elétrico no cobre
Vitória resistência
Viva em Vida
pra não alongar no módulo
meus fios atirados
barraca atrás do armário
não durmo ensacado há dias
ma toalha amarela enxuga
que o tempo ainda não marcou
o peito aberto 
a turbulência.

24 de out de 2014

mercado raciocionio

Quando entrares
no mercado do raciocínio racional
largue seu humano social
torne-se um animal
compre conhecimento
na quinta prateleira
destrua o confinamento
de sua mente perspicaz
Com uma dose de sabedoria
Que alguém lhe entregará

Quebre o cálcio
de sua glândula pineal
destrua com fulgor
uma ou ou outra babilônia
solape paradigmas
desvincule-se totalmente da moral
desassocie seu ego pobre
e saia dessa jaula fétida
Que lhe abrigou por tanto tempo
Deixe de se vendar
Com tantas pútridas mentiras
Com tantas verdades falsas
olhos vendados não veem pra frente
muito menos para trás
olhos distantes só veem o longe
desaprenderam a focar..

Não venda o mais necessário
não compre o mais importante
da feira que vos falo
por do sol é cortesia

22 de out de 2014

ufo a guerra

galhos ainda ontem grandes
hoje verdeiam na fogueira do chão
em pedaços esturricados de fibra de carvão
ladeiam existências esquentando os dedos
e as pobres pupilas sedentas de luz
nobrecem castigos nas pontas 
que tato já não tem não
pelo contato arredio
ou o sorriso do nobre navio
que nas águas andou e no fogo
queimou.

9 de out de 2014

existe um tal de  pré-ultimato chamado verbalização
a lua e suas marés
os fluidos suspensos
em suas cabeças andantes
só veem luzes na noite
são o motor da terra
seu caixeiro andante
cabrestos voantes pairam
sob existência do olhar
que miram pra frente
enxergando a própria nuca