30 de jul de 2012

Nada para ser declarado, Tudo a ser declamado

E nosso coração batia descompassadamente
E linhas se escreviam
Tornados passam pela nossa mente
Nos fazem voar, nos aliviam

Coelhos passaram por nós
Fazendo acreditar em magia
Não utilizamos mais nossa voz
Nem sentimos aquela nostalgia

Pois o que importa é o hoje
O agora, o momento exato pra alegria
Foguetes espocam no ar
E nos versos da poesia

Nenhum comentário: