28 de ago de 2013

acostumados

Sigo na minha inocência
fingida
descarada
hipócrita
vivendo ideais já mortos
deixando de viver
pelo simples medo
do sabor do medo.

o passo para o voo
nunca foi dado
virei homem sintético
agraciado pelo prazer
de mentira
pelo gosto
da mentira

Embolotando, apenas assisto
a realidade se emoldurando
a vida fazendo-se em quadros
a mais extasiante obra de arte
em grandes e gigantescos frames
pendurada em uma parede
intocável em seu destino.

Não
não!
não me permito desistir
simplesmente assim
mas a esperança
só não morre
por já estar velha demais.

20 de ago de 2013

pedido de salvamento

Poesias gritadas duas vezes
em cubículos de plastico
em murmuros eternos
em quadros brancos
brancos

Filas kilométricas no meio de mesas cheias de humanos
luzes acesas
novas luzes queimadas
o mesmo do mesmo
dado como novo

Determinação
Tentativa
Desapego
Desistência

Desliguem meu piloto automático
desliguem-me do sistema
me ajude
para começar a viver
tenho que destruir um mundo.

18 de ago de 2013

culto novo

Coloco meu dedo 
lá no fundo do nariz
e com dificuldade, usando minha unha
tiro um grande pedaço
um material informe
amarelado e negro
Analisando atentamente
acho até detalhes em verde
grande obra
digna de salões brancos e estéreis
seu colorido espectral
junto com sua aparência pastosa
causariam admiração e comoção
nas almas sensitivas da arte 
holofotes gigantes iluminando
lugar cativo ao lado de rodin
fama e fortuna eternas
ao grande nariz criador
serei honrado abraçado bajulado
estudado
meu nome figurará
nos livros de história
"o nariz que comoveu o mundo''
e o culto à escatologia
se tornará mundial.

4 de ago de 2013

caos zero

Permanentemente
escanteando as esperanças
ao andar na rua
e ver o rosto das pessoas 
vazios.
é só assim
que conseguem flutuar
por esse mundo afogado

3 de ago de 2013

Fraco pra ser fraco

Transformados em pedras humanas
estáticas pilastras de ferro
cobertas de panos brancos
de vergonha
sem vergonha

Trajetos humanos traçados
no piche negro, no asfalto quente
não vá pela sombra
não caminhe pela luz

Amoleça
a força
a força do seu peito
amoleça
pereça
para então
sair vitorioso
como eles pregam.