21 de fev de 2013

E ela veio vestida de cetim

Quando notou não respirava mais
E já não havia mais calor
no seu corpo
Sentiu seus músculos desprenderem-se
vagarosamente de seus ossos
O sangue, antes hiperativo
agora jazia largado em veias inúteis
O pulmão já não tragava
nem o rico oxigênio
nem a generosa fumaça do seu cigarro
Milhares de células
trabalhavam copiosamente pela vida
Agora só tem um destino
Apodrecerem em um duro caixão de madeira
e de todo aquele ser sonhador
Apenas os cabelos ainda crescem.


Nenhum comentário: