15 de out de 2012

noite

E no largo sorriso
Seus dentes amarelados ao luar
Quando as estrelas estão sublimes
E a noite está a lhe chamar:
Ó pobre mortal
Escute meu clamor
Verás em minha negra escuridão
O reflexo da sua alma
Só basta que faça
A alegria continuar
Para o sorriso reinar

Nenhum comentário: