12 de set de 2014

poderia ser de qualquer jeito mas vai ser assim. Meu dinheiro está cheio de animais. Meus animais estão fartos de meus dinheiros. Coelhos custam 12 reais. Poderiam ser 12 cafés sem gosto. Cafés com gosto de dinheiro. Plantarão café aqui um dia. Dia quente, gente bronzeada. Sorrindo mesmo que pra dentro. Sorrindo talvez só pros dentes. Dentes sujos de café. Com o sol no leste e a lua no oste. Sol verde lua amarela. Cafés marrons, mares verdes. Mas as estradas ainda de escuro piche, onde animais não trafegam. E o dinheiro trafega mais rápido se maior for. E o coração aaah coração, coração, aah coração canta um jards qualquer quando o fim é mais rápido que o começo.  Quando assim são, repousa noutra clareira do seu céu pintando o mundo com uma unha do dedinho, perde o fôlego, não olha pro chão. Chama estrela segura a mão, a própria, a própria, respectivamente como se diz, regue a horta antes da partida, não é preciso falar pra seres precavidos, e já não falo mais pra mim porque parei de me escutar a muito tempo.