22 de out de 2014

ufo a guerra

galhos ainda ontem grandes
hoje verdeiam na fogueira do chão
em pedaços esturricados de fibra de carvão
ladeiam existências esquentando os dedos
e as pobres pupilas sedentas de luz
nobrecem castigos nas pontas 
que tato já não tem não
pelo contato arredio
ou o sorriso do nobre navio
que nas águas andou e no fogo
queimou.

Nenhum comentário: