21 de set de 2012

Antes do nascer do sol

Sustento-me
Enquanto a chuva cai lá fora
Os trovões estouram agora
E eu não posso ir embora

Corro
Procurando alguma inteligência
Tentando fugir da demência
Buscando sapiência
Encarando a decadência

Voo
Quando a mente se liberta
E o mundo se oferta
Como uma flor aberta
E tudo é descoberta

Cresço
Levanto e apareço
Pois o melhor começo
É depois do tropeço.

Nenhum comentário: