7 de jun de 2013

Quando eu chegar das estrelas

Force o charme do charque
Socorro a censura acabou
Loiros negros andando
Pelos lados da tecnológica
sorria traga e tosse
quem trouxe a trouxa do nobre
receberá um xelim de esperança

Amarrem a sarna
Arrolhem a garrafa de canha
Estude o lixo e o esgoto
Pra saber onde findar
Sem mais sôfrego itinerante
E gemidos de ai ui
Uivos de lobo à lua,
tucanos a cantar melodia:
jogue a pilha no lixo certo
não no orgânico,
nem no reciclável.

Subirei aquela montanha
Usando apenas os pés
As mãos deixarei na entrada
Junto com a copa das árvores.

Nenhum comentário: