3 de mai de 2014

planos paralelos

mugidos ávidos por ouvidos
chuvas esperadas pacientemente
quente o dia, os dejetos caídos
Um ermitão sorridente
Saído de sua cavernosa
Toca do mundo ocidental
Achou a luz formosa
E o ninho de cor espectral
Sua mente em estado selvagem
Viu misteriosos chapéis de saturno
que com suavidade ingeriu
E no seu contato noturno
seu ego assutado, partiu
dourado era seu destino
gaia adotou-o em seu seio
Brindou de sua inteligência suprema
agora com deuses e seus problemas
ele ceia toda noite.

Nenhum comentário: