6 de ago de 2012

Amanhã teremos a noção dos sorrisos sorridos hoje

Seus dentes mostram-se temivelmente roxos na noite de sábado, seu rosto assumiu a posição de alegria interessante, uma doença viral rara que contraiu. E estava sempre feliz, graças a esse adorável vírus que corria pela suas entranhas. Não era diferente quando solidarizava com o mais belo e um dos mais antigos cultos da humanidade: O culto ao deus Baco. Mas isso era apenas uma distração, afinal, como a pessoa mais feliz do mundo, ele não tinha grandes problemas. Excetuando aqueles delicados momentos em que ele se esquecia de sua doença. Aí então seu rosto se contraía em seriedade e sua mente enegrecia com pesadelos inimagináveis para qualquer outra pessoa. Ele está pra sempre fadado pra felicidade e sabe disso, só não consegue entender como isso pode o deixar triste.

Nenhum comentário: