26 de ago de 2012

Sentado

Sentado, encarando seu próprio tédio dia após dia. Sentado, em frente a mesma mesa de madeira, esperando algo lhe comover suficientemente para levantar. Sentado, é assim que passa a vida. Costumava caminhar, correr, pular, sentir, mas um dia ele resolveu sentar e essa foi a pior decisão de sua vida. A primeira vez que sentou, fora  um alívio, sentar desalojou o peso imenso que pensava carregar nos ombros. Porém começou a sentar cada vez mais, inconscientemente. Sentou quando lhe disseram que ele não conseguiria, para se lamentar, sentou quando não conseguiu, para se lamentar, sentou quando pensou nos inúmeros boicotes que ele mesmo se pregava, para se lamentar, sentado estava quando pensou em como seria bom caminhar, sentado ficou quando fora obrigado a levantar. A cada dia que passa, se esquece de como era viver a vida de outra forma, já se conformou que nunca vivera assim, suas lembranças mais marcantes são as que está sentado, ou as fúteis tentativas de se equilibrar de pé. Ainda sim, sonha com o momento em que se levanta, sonha com a possibilidade de não estar preso a esse carcere mental, sonha com a ideia de quebrar essa cadeira, mas para isso precisará desistir de sentar para sempre, e isso não lhe parece possível, pois precisa se tornar outra pessoa para levantar.

Nenhum comentário: